Os 6 Filmes Favoritos

Sim, sabemos que o blog chama CINCO MAIS , não estamos surtados!

E justamente, para a inauguração um blog de TOP 5, nada mais grandioso do que um TOP 6 ! E um TOP 6 diferente…
Não apenas uma lista dos melhores, mas uma reunião panteônica com as pérolas mais admiradas por cada um de nossos editores.
O nosso objetivo é ter o maior número de listas, tops e afins sobre os mais variados assuntos. Mas não podemos negar nossa paixão primordial, os seis editores são aficionados por CINEMA e, inclusive, aspirantes a cineastas!
O nosso primeiro artigo é o grande filme, o escolhido de cada editor. Cada um vai comentar o seu, e lógico vai ter que se explicar… Assim você já conhece um pouco de nossos caros editores (músicas, gostos,  etc..)
Espero que gostem do nosso blog e se tornem viciados em nossas humildes compilações…

6 … FILMES FAVORITOS!!!

Flávia

“Bonequinha de Luxo” (1961)

Flávia tem 19 anos, é vegetariana, frenética e, por que não, sonha em casar com Paul McCartney ! Adora viajar sozinha e leva Audrey Hepburn como modelo de elegância. Elegante como a sua escolha de filme, Flávia respondeu na hora, elegendo o grande clássico de Blake Edwards, criador de filmes como a Panteira cor-de-rosa, Bonequinha de Luxo como o filme mais marcante em sua vida.
Bonequinha de Luxo, é um titulo marcante que conquista tanto quanto o original Breakfast at Tifanny’s. O filme que já completa 50 anos é um simbolo até hoje, de moda e comportamento e, claro, muito glamour. Escrito pelo notório romancista Truman Capote, autor de A Sangue Frio, Bonequinha de Luxo é uma leve e apaixonante comedia romântica que estabeleceu Audrey Hepburn como uma das maiores estrelas de todos os tempos.

Mariana

“Forrest  Gump” (1994)

Mariana, 21 anos, adora o cinema, mas divide essa paixão lado a lado com a música, principalmente rock. Sonha em dirigir videoclipes, e que eles sejam do Foo Fighters, o seu totem de idolatria musical. Assim como sua banda favorita, seu filme também é jovem, se é que posso chamar os anos 90 de jovem… Mas com certeza já é um grande clássico do cinema, Forrest Gump de Robert Zemeckis.
O filme arrematou 6 Oscar, incluindo melhor diretor, melhor ator para Tom Hanks e melhor filme do ano, deixando para trás grandes concorrentes como Pulp Fiction e Um sonho de Liberdade. Forrest Gump conta através da biografia do personagem-titulo a historia dos Estados Unidos, de uma maneira bela e envolvente que acaba se tornando mais do que um mero retrato americano, mas uma valiosa lição de vida.

Patricia

“Cinema Paradiso” (1988)

Patricia, 20 anos, também adora um Rock, principalmente sua banda favorita, ninguém mais, ninguém menos, que os Beatles! Mas apesar de compartilhar o gosto por música, Patricia escolheu um filme diferente dos outros, um filme italiano, país que ela adora. O grande filme Cinema Paradiso do diretor Giuseppe Tornatore, que continua fazendo ótimos trabalhos. É um filme emocionante que narra a infância de um garoto em uma pequena cidade no interior da Itália através da história da sala de cinema tipica da cidade, o lugar favorito do protagonista, o Cinema Paradiso. Uma obra tocante, com momentos clássicos e icônicos, Cinema Paradiso é simplesmente espetacular. De acordo com Patricia, nada melhor do que uma sessão do filme acompanhada de uma bela pizza.

Fernanda  G

“Orgulho e Preconceito” (2005)

Fernanda tem 20 anos e além de cinema, ela adora o teatro, já é uma atriz formada com varias peças realizadas. Mas na música, Fernanda divide a opinião geral, apesar de eclética, prefere as atuais músicas eletrônicas. Entre o moderno e o erudito, ela escolheu uma mistura dos dois para seu filme, Orgulho e Preconceito, o recente filme de 2005, adaptação do famoso romance de época de Jane Austen, publicado em 1813. Elizabeth Bennet, a protagonista, se apaixona pelo nobre Sr. Darcy, porém o relacionamento se complica quando um terceiro membro interfere no caminho entre os dois. Um filme gracioso, a já grande história de Jane Austen encontra ótimas performances e uma cenografia belíssima. Orgulho e Preconceito, indicado a 4 Oscar, é uma excelente pedida.

 

Fernanda M

“Melancholia” (2011)

A nossa outra Fernanda volta ao padrão e adora o Rock e seu pais natal, a Inglaterra. Seu sonho de consumo é o Principe Harry (como assim!?) e morar em Buckingham (Ah, entendi…). A pessoa que mais admira, como artista e ser humano,  é a cantora Janis Joplin. Fernanda adora maquiagem, inclusive trabalha na área. Em meio a essa mistura, ela se decidiu pelo mais novo dos filmes aqui já mencionados, porém não menos excelente. É o drama Melancholia, de Lars Von Trier, o filme de 2011 conta de uma maneira incomum a história de 4 pessoas que aguardam o inevitável fim do mundo. Lars Von Trier é um cineasta muito original, ele transmite através de um filmagem “crua e realista” significados metafóricos, que fogem ao contexto da primeira camada do filme. Polemico e inesquecíveis, os filmes de Von Trier ganham cada vez mais fãs ao redor do mundo.

Leon

“Três Homens em Conflito” (1966)

Olhá só… falar dos outros é fácil né! Bom, eu tenho 20 anos, nascido e criado no interior de SP mudei para capital há alguns anos para buscar meu “sonho” de fazer filmes. Música, para mim, deixou de ser realmente boa já faz um tempo, mas continua sendo a arte que eu mais admiro, gosto principalmente de Rock, Jazz, entre outros… Mas a arte que mais gosto é o cinema e meu filme escolhido foi Tres Homens em Conflito, ou o, MUITO melhor, titulo original, The Good, the Bad and the Ugly. Também um filme italiano, mas só por trás das câmeras, os atores, diálogos e o gênero são americanos, é uma coprodução entre os dois países.  Dirigido por Sergio Leone e estrelado por Clint Eastwood, conta a história de três homens em busca de um mesmo tesouro, construindo um jogo de gato-e-rato, mas a trama aqui é secundária, simples, o encantamento do filme é devido a sua maestria no espetáculo sinestésico que é o cinema. É puro cinema, uma releitura de um genero nascido no cinema (Western), que com sua direção, fotografia, montagem, todas propriedades técnicas inerentes ao cinema cria um trabalho-mestre de envolvimento do espectador. Ah, e como não falar da trilha sonora, o ilustre Ennio Morricone em talvez seu magnum opus de cooperação com o cinema. The Good, the Bad and the Ugly é o filme-definitivo do Western Spaguetti, mas creio ser um filme definitivo para o cinema. Se alguém não tivesse a minima ideia do que é cinema, eu pouparia explicações e simplesmente a mandaria assistir The God, the Bad and the Ugly.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: